quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

LEMBRANDO O 28 DE NOVEMBRO DE 2011 COM OS OLHOS NO 20 DE JANEIRO DE 2016!

LEMBRAM-SE DO 28 DE NOVEMBRO DE 2011?


ONDE É QUE ESTAVAM NESSE DIA?


COM QUEM ESTIVERAM?


COMO SE SENTIRAM?


#############################################

QUEREM REVIVER ESSES MOMENTOS?


ESTÃO PRONTOS PARA NOVAS EMOÇÕES?


ENTÃO APONTEM: DIA 20 DE JANEIRO DE 2016!


NO MESMO LOCAL, À MESMA HORA!


#############################################

QUINTOBAIRRISMO EM MOVIMENTO!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

DIA 20 DE JANEIRO HÁ CONVÍVIO QUINTOBAIRRISTA!

Vamos aos factos:

 O "Alentejano"...









DITA  - 20 de Janeiro reservem o dia para o nosso convívio/almoço/encontro quintobairrista;

DOR - por aqueles que já não podem estar fisicamente presentes.





Estamos a tratar de mais um encontro, que em princípio será naquele dia e restaurante onde fizemos o primeiro, na Quinta do Charquinho em Benfica.





Para isso vamos mobilizar o Dores de Carvalho.




A boa vontade de todos é essencial para o efeito.

Estamos a pensar em arranjar um prato de peixe
e outro de carne


















no sentido de cada um escolher o que mais lhe agradar.

Esperem notícias e vão vendo o blogue.


Abraço 








ESCREVE: CAMACHO  





ps: as fotos machistas não são da responsabilidade do autor do texto, mas de um desavergonhado sem escrúpulos (mas com gosto, confessem!)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

CROMO N.º 5 - O ZÉ ROSA

Quem não se recorda das jantaradas que faziamos na Feira Popular no Restaurante Lobos do Mar que era do Amaral, tio do Nordeste?










Belos tempos em que depois de bem comidos e melhor bebidos deixávamos os nossos filhos entregues ao cuidado do Zé Rosa para que ele os fosse pôr a andar de carrossel ou os levasse a qualquer outro divertimento.





Sim, que nós continuávamos a encharcar até à exaustão!!!





Pelo que sei, ou melhor, não é consensual se o Zé ainda é ou não vivo e por isso se alguém tiver a certeza certa diga o que achar por conveniente para em caso positivo, isto é, se ainda estiver entre nós se tente averiguar qual o seu paradeiro.
Ó ZÉ, POR  ONDE ANDAS TU?

Recordo ainda as vezes, sem conta,  que ele nos desenrascou sempre bem disposto e nunca com maus modos. 






ESCREVEU: VÍTOR  

sábado, 19 de dezembro de 2015

CROMO N.º 4 - O MANUEL GOMES





Manuel Gomes, que poucos se devem lembrar, foi outro dos que nos anos 70 trabalharam nesta Casa.

Dizia: "aqui todos os papéis me passam pelas mãos", o que era de todo verdade porque dava as entradas!!!


Um dia desentendeu-se com o Furtado (lembram-se deste?), atirou-lhe com o carimbo das ditas,  que era pesado pra burro e se lhe acertasse ter-lhe-ia "furado"  a adiposidade que o mesmo apresentava!!!


Mas além disso, da parte da tarde, quando ficava despachado ia fazer citações e notificações.

Uma vez, conta ele, foi notificar um utente e não percebia o que ele dizia.
Meio atrapalhado perguntou-lhe donde era, ao que o visado lhe respondeu que era belga.



Conclusão: "como podia eu entendê-lo se ele falava...bélgico!!!
Risada geral.

Sei que foi para a 1ª Repartição da Amadora e há mais de 40 anos que desapareceu...






                                  escreveu: VÍTOR 

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

CROMO N.º 3 - O GAGO MENDES

Raúl Sena Gago Mendes, foi sem dúvida o expoente máximo em... máximas ou aforismos!!!

Das "linguas de pintassilgo grelhadas" a "aquilo é tudo trabalho do Peres Bandeira", estaria aqui imenso tempo a fazer citações de sua autoria.




Algarvio do Cachopo, concelho de Tavira, esteve prisioneiro na India Portuguesa quando o território foi anexado.





Na sua tomada de posse e perante o pasmo geral, logo se tornou figura de relevo quando pediu, e ,cito: "Chefe, posso cantar um fadinho?"

Pedido ignorado!!!





Mais "senas" podia aqui transcrever pois elas foram tantas...

Há uns anos, vislumbrei-o na Rua Barros Queirós, mas de repente, zás...desapareceu.



Entrei na Cervejaria Berlenga e topei-o meio escondido atrás dum pilar!!!
Fui ter com ele, bebemos umas bejecas e até hoje... 








                             ESCREVE: VÍTOR

domingo, 13 de dezembro de 2015

CROMO N.º 2 - O GUERREIRO!

Guerreiro, o temível?
Quem não se recorda do José Joaquim Rosa Guerreiro, também conhecido pelo Macaquinho da Reboleira?

Não é que ele fosse muito dado à assiduidade uma vez que passava longas temporadas sabe se lá onde!!!



Ia tomar a bica, ia!
IO que ele mais gostava era de ir tomar a bica ao Aeroporto, claro que lhe podia dar para ...pior, ou melhor, segundo a perspectiva.
No seu MIni, não sei se com tracção às quatro rodas, era vê-lo de manhã ainda meio ensonado a correr pela 5 de Outubro para não chegar ainda com mais retardamento.
Se calhar também usava um espelho! ...

Ou era o herdeiro das tradições
 da Amadora
no pioneirismo da aviação?








O seu riso meio fanhoso era uma das suas imagens de marca.
Ah! E durante a sua estadia fez um hiato tendo andado por Londres com uma licença, não sei se ilimitada ou temporária, mas um belo dia lá retornou não como filho pródigo mas como  que a dizer que já fazia "parte da mobilia". 


E foi bem recebido como era apanágio dos QUINTOBAIRRISTAS!!!



Sei que esteve ainda no IVA  mas perdi-lhe o rasto.






escreve: VÍTOR

 

sábado, 12 de dezembro de 2015

CROMO N.º 1 - O MOITA

Quem se lembra do Moita? 


Por certo poucos.
Esteve lá pouco tempo,nos anos 70, mas deixou "marca"!!!
O Bairro funcionava apenas no 1º.andar e era a sala  do Imposto Profissional, cujo mandão era o Niny Mestres coadjuvado pelo Rui Vasco, Coimbra das Neves, Corrêa dos Santos mais um ou outro que de momento me escapa!!!

Pois o cromo desta semana parecia não ter a "roupa toda dentro da mala" pois andava por vezes com um selo fiscal colado no meio da testa, atendia os utentes muitas  vezes com sotaque brasileiro e dava-se ao luxo, de os acompanhar à boca do Metro do Saldanha!!!
Também atrás do Moita?
Ou da moita?

Atrás do Moita?
Ou atrás da moita?
E o Leal aguentava.

A mim parece-me que ele tinha vindo "apanhado" da guerra colonial, pertencia à FIAC, Federação Internacional dos Apanhados do Clima!!!
Sumiu e nunca mais se soube do seu paradeiro,ou haverá alguém que saiba?





                                              ESCREVE: VÍTOR